Pucón – Subida do Vulcão Villarica

Se você quer experimentar uma aventura fora do tradicional, a subida na neve até a cratera do Vulcão Villarica é certamente uma ótima opção.

Villarica01

O Vulcão Villarica visto da cidade de Púcon 

A 800km ao sul da capital Santigo, o Villarica fica localizado próximo a cidade de Púcon no Chile e seu cume chega a 2843m de altitude, o que faz com que ele passe o ano inteiro com seu topo coberto de neve, dando um visual incrível a cidadezinha e o posicionando como umas das principais atrações da região.

O vulcão que antigamente era chamado de Rucapillán ou “casa do demônio” é ativo, mas estava adormecido até março de 2015, quando teve sua última erupção. Mas mesmo quando não está em erupção ele solta uma temida fumacinha e emite uns barulhos de assustar até os mais corajosos (escutar é privilégio de quem sobe até o topo).

Villarica 05

A tal da fumacinha…

A escalada

Nossa experiência foi em dezembro de 2013, nós fomos com o carro da agência de turismo que contratamos até o último estacionamento da estação de esqui. Lá nós colocamos roupas apropriadas (fornecidas pela agência), recebemos as instruções de como caminhar na neve e como proceder em caso de queda e seguimos ansiosos para a primeira etapa da aventura.

O primeiro trecho pode ser feito caminhando (cerca de 1h30 de duração) ou de teleférico. Nós escolhemos a segunda opção pois estávamos um pouco inseguros com a dificuldade da caminhada e resolvemos poupar o máximo de energia nesse primeiro trecho.

A segunda etapa começa com o pé na neve e subindo em zig-zag por umas 4 horas até o topo do Vulcão. Sempre em grupos de umas 10/15 pessoas acompanhados pelos guias locais que dão ótimas dicas para facilitar a subida, como a de sempre andar usando pegadas já existentes, que faz a caminhada ficar mais leve do que se tivesse que abrir um novo caminho. Ao longo desse trajeto fizemos duas paradas e desde a primeira a vista estava muito bonita.

Villarica 04

Parada logo após o teleférico para reunir a coragem e começar a subir na neve.

equipamentos

Estávamos equipados com botas especiais para neve (solado mais duro e 100% impermeável), crampon (espécie de garras que coloca em baixo das botas para travar o pé na neve), piolets (picareta para neve), capacete, calça e jaqueta impermeável e um skibunda para a descida.

Chegar no topo do Villarica depois de 3h30 horas subindo é uma conquista que é recompensada pela vista espetacular, tanto da cratera do vulcão, quanto de toda a região que o cerca.

Villarica 07

A comemoração da chegada! 

Para chegar até o cume preparo físico é muito importante, afinal você vai subir uma montanha por mais de 3h30 (sem contar o trecho do teleférico). Mas não se assuste, nenhum de nós dois eramos atletas. A subida é acessível para quem está acostumado a fazer um tipo de exercício, principalmente trekking.

Villarica 09

A magnitude do Vulcão…de tirar o fôlego! 

Depois de mais ou menos uma hora curtindo as paisagens, um pouco mais de aventura e diversão na hora da descida. Com uma espécie de skibunda descemos escorregando do topo até quase o ponto de partida da caminhada. O que levamos 3h30min horas pra subir, descemos em 40 minutos. Infelizmente não temos fotos e vídeos desse momento pois todo precisamos guardar tudo na mochila antes da descida.

vistas

Vista de cima do Villarica: dois vulcões argentinos, lago Villarica e uma prévia da descida de skibunda. 

Dicas e informações sobre o Vulcão Villarica

Agência: As principais agências de turismo que fazem o passeio para o Vulcão partem da cidade de Pucón. No centro existem diversas opções de agências, vale ir pessoalmente em cada uma para negociar preço e ver com qual você se sente mais seguro. Nós escolhemos a Volcán Villarica e tivemos um excelente guia, chamado Alejandro. Pagamos em torno R$ 150,00 o pacote incluindo transporte (teleférico não incluso) e equipamentos.

Nós não recomendamos fazer esse passeio por conta própria, ainda mais se você não for um montanhista com experiência na neve. A subida é fisicamente difícil e não há marcação de trilha.

Comida / Água: Tem que levar de casa seus lanches e bebidas, lá não tem lugar onde comprar. Chocolates são sempre bons nestes casos que você precisa de uma energia extra.

Clima: Vimos muitos comentários que lá o tempo é instável e quando venta é muito frio, nós fomos em dezembro e por sorte pegamos um tempo ótimo, céu aberto e pouco frio. Vale a pena confirmar a previsão com a agência antes de arrumar a mala.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s